quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Dez novos ônibus articulados chegam a Manaus para compor a frota

22/11/2011 - D24AM, Anayra Benevides . portal@d24am.com

De acordo com o proprietário da Global GNZ, Cláudio Flores, a nova frota atenderá as linhas troncais do terminais T4 e T5, substituindo os coletivos da linha 600.

Manaus - Dez ônibus articulados chegaram nesta tarde de terça-feira (22) ao Porto da Sanave, bairro Santo Antônio, em Manaus. Os ônibus, de marca NeoBus Mega BRT, fazem parte da frota da empresa Global GNZ Empreendimentos e Participações Ltda, reponsável pela renovação de 300 veículos do sistema de transporte coletivo de Manaus.

De acordo com o proprietário da Global GNZ, Cláudio Flores, a nova frota atenderá as linhas troncais do terminais T4 e T5, substituindo os coletivos da linha 600, que circulam na zona leste da cidade.




"Ontem chegaram 14 ônibus articulados, hoje foram dez e amanhã chegarão mais vinte. Todos chegam de Caxias do Sul. A previsão para os ônibus articulados entrarem em circulação será às 5h deste sábado (26)", informou.

Segundo o superintendente Municipal de Transporte (SMTU), Marcos Cavalcante, a cidade receberá ao todo 166 ônibus articulados. Dentre essa quantia, 70 carros são de responsabilidade da Global GNZ, e os outros 96 serão entregues pelas empresas Rondônia Comércio e Extração de Minérios Ltda, Viação Nova Integração Ltda e Transitol Empresa de Transporte Coletivo Toledo Ltda, vencedoras da licitação para transportes de alta capacidade.

Os ônibus articulados já foram incluídos nos projetos de corredores de ônibus de trânsito rápido de cidades como Rio de Janeiro, Curitiba e Goiânia.

Alguns itens os diferenciam dos ônibus convencionais. Primeiramente, o comprimento é 14% maior e 5 centímetros mais largo. São 21 metros de extensão, 2,20 metros de altura e 2,60 metros de largura, com capacidade para 157 passageiros, conforme indica a placa de dentro do ônibus.

Outros itens como computador de bordo, equipamentos de acessibilidade para deficientes físicos e visuais, espaços para cadeiras de rodas, alertas sonoros e os sinais de parada para estas pessoas que, ao ser acionado, emite um som diferenciado, indicando que uma há um passageiro necessitando de mais tempo para desembarcar na próxima parada.

"Os articulados são também hidramáticos, possuem sistema de ventilação forçado, reduzindo três graus da temperatura do ambiente. Ele causa menos impacto no solo, uma vez que seu peso é distribuído por eixo", ressaltou.

No entanto, para os ônibus articulados veicularem pela cidade tendo o melhor desempenho possível, a Prefeitura da cidade necessita segregar as pistas, é o que afirma Cláudio.

"Esses ônibus foram feitos para rodar a, pelo menos, 36km por hora, diferente de um ônibus convencional, o qual roda a 20km pela cidade. Dessa forma, ele transporta mais passageiros em menos tempo, barateando o preço da passagem. Entretanto, a Prefeitura tem que segregar as pistas, para que os veículos privados não interfiram no transporte público", explicou.

Cada ônibus custou R$ 652 mil. A Global GNZ pretende investir, ao todo, R$ 85 milhoes. Dos 300 carros precisam renovar, a empresa já entregou 100. Até janeiro de 2012, Cláudio disse entregar os 145 carros restantes.

 

 

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Mega ônibus chega a Manaus e SC

10/11/2011 - Webtranspo

Neobus expande mercado para modelos maiores

O transporte coletivo urbano das cidades de Manaus e Florianópolis ganhará o reforço dos Mega BRTs, ônibus articulados de 28 metros. Figurando com a terceira frota de BRT do Brasil, a capital do Amazonas começa a receber nos próximos dias as primeiras unidades de um total de 70 unidades comercializadas.

A cidade catarinense já recebeu os primeiros ônibus BRT encarroçados pela Neobus e o restante do lote cumpre trâmites burocráticos de negociação.

Para desenvolver o ônibus, a Neobus investiu em aerodinâmica moderna e em uma percepção visual de “trem-bala”. Desta forma, os veículos circulam na estrutura viária de características específicas das BRTs. Eles são configurados para rápido embarque e desembarque e contam com equipamentos modernos de acessibilidade.

Ressalte-se que o modelo Mega BRT conta com diferenciais em relação aos antigos ônibus articulados. Os veículos possuem maior comprimento e interiormente também proporcionam mais espaço para os passageiros, oferecendo altura interna de 2,20 metros e largura total de 2,60 metros.
 

domingo, 23 de outubro de 2011

Governo define transporte coletivo entre Manaus e Iranduba após inauguração da ponte Rio Negro

22/10/2011 - Amazonas Notícias

O Governo do Amazonas definiu a estrutura de funcionamento do transporte coletivo de passageiros entre Manaus e Iranduba após a inauguração da Ponte Rio Negro. A partir do dia 25 de outubro, quando a ponte será liberada para o tráfego de veículos, os ônibus urbanos de Iranduba (a 27 quilômetros da capital) terão sua rota estendida até o início da avenida Coronel Cyrillo Neves (antiga Estrada da Estanave), no bairro Compensa II, zona oeste de Manaus, onde haverá ponto de embarque e desembarque de pessoas, que estará interligado ao transporte coletivo da cidade.

Foto: Chico Batata
Os principais pontos da integração metropolitana do transporte coletivo foram definidos pelo governador Omar Aziz, nesta segunda-feira (17), em reunião na sede do Governo, no bairro Compensa II, com o vice-governador, José Melo, o diretor da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Amazonas (Arsam), Fábio Alho, e o secretário Municipal de Transporte Urbano de Manaus, Marcos Cavalcante.

Com a integração, a população da Região Metropolitana de Manaus (RMM) terá uma nova alternativa para a locomoção intermunicipal, além da travessia por lancha no porto do São Raimundo, que continuará em funcionamento sem alterações após a inauguração da ponte Rio Negro. “O transporte rodoviário intermunicipal, aquele em que o passageiro faz o percurso da rodoviária de um município para a de outro, seguirá normalmente sem sofrer alterações”, explicou o presidente da Arsam.

Em Iranduba, o transporte urbano é feito por duas empresas privadas que operam com um total de vinte ônibus. Eles percorrem trechos urbanos e rurais do município e cobram uma tarifa de R$ 3,50. A rota das linhas dentro do município não será alterada. A única mudança será a expansão do itinerário até a cabeceira da ponte, em Manaus. “O ponto exato onde vamos instalar a parada de embarque e desembarque de passageiros, em Manaus, será delimitado amanhã (terça-feira), após visita ao local. Os ônibus do transporte urbano de Iranduba vão trazer as pessoas para Manaus e levá-las para Iranduba”, afirmou Fábio Alho.

Em Manaus, os passageiros que vierem de Iranduba no transporte coletivo urbano e quiserem se deslocar para outros pontos da cidade terão que pagar a tarifa do sistema na capital, que atualmente é de R$ 2,25. A Secretaria Municipal de Transportes Urbanos de Manaus (SMTU) ainda estuda quais linhas de ônibus terão as rotas adaptadas para atender à população na cabeceira da Ponte Rio Negro.

As Prefeituras de Manaus, Iranduba e a Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM) deverão assinar, na quarta-feira (19), o convênio para oficializar a integração do transporte coletivo. Fábio Alho reforça que não será permitida a travessia por mototaxi e taxi lotação através da ponte, conforme proíbe o Código Nacional de Trânsito.
Governo define transporte coletivo entre Manaus e Iranduba após inauguração da ponte Rio Negro
sábado, 22 de outubro de 2011
O Governo do Amazonas definiu a estrutura de funcionamento do transporte coletivo de passageiros entre Manaus e Iranduba após a inauguração da Ponte Rio Negro. A partir do dia 25 de outubro, quando a ponte será liberada para o tráfego de veículos, os ônibus urbanos de Iranduba (a 27 quilômetros da capital) terão sua rota estendida até o início da avenida Coronel Cyrillo Neves (antiga Estrada da Estanave), no bairro Compensa II, zona oeste de Manaus, onde haverá ponto de embarque e desembarque de pessoas, que estará interligado ao transporte coletivo da cidade.

Foto: Chico Batata
Os principais pontos da integração metropolitana do transporte coletivo foram definidos pelo governador Omar Aziz, nesta segunda-feira (17), em reunião na sede do Governo, no bairro Compensa II, com o vice-governador, José Melo, o diretor da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Amazonas (Arsam), Fábio Alho, e o secretário Municipal de Transporte Urbano de Manaus, Marcos Cavalcante.

Com a integração, a população da Região Metropolitana de Manaus (RMM) terá uma nova alternativa para a locomoção intermunicipal, além da travessia por lancha no porto do São Raimundo, que continuará em funcionamento sem alterações após a inauguração da ponte Rio Negro. “O transporte rodoviário intermunicipal, aquele em que o passageiro faz o percurso da rodoviária de um município para a de outro, seguirá normalmente sem sofrer alterações”, explicou o presidente da Arsam.

Em Iranduba, o transporte urbano é feito por duas empresas privadas que operam com um total de vinte ônibus. Eles percorrem trechos urbanos e rurais do município e cobram uma tarifa de R$ 3,50. A rota das linhas dentro do município não será alterada. A única mudança será a expansão do itinerário até a cabeceira da ponte, em Manaus. “O ponto exato onde vamos instalar a parada de embarque e desembarque de passageiros, em Manaus, será delimitado amanhã (terça-feira), após visita ao local. Os ônibus do transporte urbano de Iranduba vão trazer as pessoas para Manaus e levá-las para Iranduba”, afirmou Fábio Alho.

Em Manaus, os passageiros que vierem de Iranduba no transporte coletivo urbano e quiserem se deslocar para outros pontos da cidade terão que pagar a tarifa do sistema na capital, que atualmente é de R$ 2,25. A Secretaria Municipal de Transportes Urbanos de Manaus (SMTU) ainda estuda quais linhas de ônibus terão as rotas adaptadas para atender à população na cabeceira da Ponte Rio Negro.

As Prefeituras de Manaus, Iranduba e a Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM) deverão assinar, na quarta-feira (19), o convênio para oficializar a integração do transporte coletivo. Fábio Alho reforça que não será permitida a travessia por mototaxi e taxi lotação através da ponte, conforme proíbe o Código Nacional de Trânsito.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Tarifa aumenta e novos ônibus só circulam em Manaus após o dia 19

03/08/2011 - D24 AM

A viagem de chegada dos 54 ônibus da nova frota durou uma semana, tendo início em Porto Velho, Rondônia, e atravessou 1.200km pelos rios Madeira, Solimões e Negro até Manaus.

Manaus - Os 54 ônibus da nova frota do transporte coletivo da cidade de Manaus chegaram na manhã desta quarta, 3 de agosto. O desembarque dos veículos aconteceu no Porto da Savana, na estrada do bombeamento Santo Antônio, na zona oeste da capital.


A viagem de chegada dos ônibus da nova frota durou uma semana, tendo início em Porto Velho, Rondônia, e atravessou 1.200km pelos rios Madeira, Solimões e Negro até Manaus.

A Prefeitura de Manaus marcou para o dia 19 de agosto um ato público para apresentar à população a nova frota de ônibus da cidade. "Vamos convocar toda sociedade manauara, Ministério Público, Câmara Municipal e Assembléia Legislativa do Amazonas, alem de outros órgãos para mostrar os novos veículos que vão circular pela cidade, trazendo benefícios a toda população" disse Marcos Cavalcante.

De acordo com Marcos Cavalcante, superintendente municipal de Transportes Urbanos (SMTU),  Manaus vai contar a frota de ônibus mais moderna do país."O prefeito Amazonino Mendes vai ter que receber parabéns de muita gente que criticou", disse Marcos.

Entre as novidades dos novos ônibus estão elevadores para cadeirantes, 20% dos acentos reservados para idosos, espaço reservado para obesos.

A substituição dessa nova frota vai pesar nos bolsos dos usuários. Com essa renovação, os empresários devem cobrar da população a quantia de R$ 2,75, um aumento de R$ 0,50 no atual valor. "Os empresários precisam cumprir todos os itens do contrato entes de aumentar a tarifa e até o dia 30 de agosto estão proibidos de aumentar o valor da passagem", afirmou o superintendente.

Até o final de agosto, Manaus vai contar com mais de 900 ônibus, circulando por todas as zonas da cidade. 

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Manaus não terá mais os sistemas BRT e monotrilho

02/06/2011 - A Crítica

Manaus não terá monotrilho nem BTR (Bus Transit Rapid) para a Copa do Mundo de 2014. A informação foi dada nesta terça-feira (31) pelo governador do Amazonas, Omar Aziz, e pelo prefeito Amazonino Mendes, após saírem da reunião com a presidente Dilma Rousseff, com os prefeitos das capitais e governadores do Estados-sedes da Copa de 2014.

Apesar de o prefeito de Manaus ter cedido e prometido não mais fazer críticas a respeito da construção do monotrilho - sob a responsabilidade do Governo do Estado, que vai se integrar ao BTR no projeto de mobilidade urbana da capital -, ele e Aziz chegaram a outro consenso: o sistema monotrilho-BRT não é prioridade para a Copa do Mundo, em Manaus, já que as exigências da Fifa são estádios, portos e aeroportos.

“Não temos que pensar na mobilidade urbana só para a Copa, mas para os próximos 20 ou 30 anos”, informou o governador.

O convencimento do prefeito sobre a construção do sistema ocorreu após uma recente conversa com Omar Aziz, que garantiu aprimorar o monotrilho. O governo vai trazer técnicos ingleses para uma revisão do projeto, o que, para Amazonino Mendes, imprime confiabilidade.

“Disse ao governador que para mim não haveria nenhum empecilho (a construção do monotrilho), pelo contrário, fico feliz. Pedi apenas que o projeto revisado seja exibido à Prefeitura de Manaus para que os técnicos examinem e ver se condiz com as necessidades”, declarou nesta terça (31) o prefeito de Manaus ao sair da reunião com a presidente Dilma Rousseff, os prefeitos das capitais e governadores do Estados-sedes da Copa de 2014.

Para aceitar a execução da obra, que, segundo a matriz de responsabilidade do PAC Copa custará R$ 800 milhões, vindos da Caixa Econômica Federal – sendo R$ 600 milhões do monotrilho e R$ 200 milhões do BRT – e deixar de reclamações o prefeito Amazonino Mendes fez exigências ao governador Omar Aziz: o projeto monotrilho tem que ter capacidade de transportar, na hora do pico, no mínimo 28 mil passageiros/hora; o Governo do Estado deverá encaminhar um projeto de lei à Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) dando conta de que, na hipótese de haver subsídio de tarifa, o Estado vai arcar com a responsabilidade.

“Feito isso, outros detalhes menores, mais simples de serem removidos, como o comportamento dos alimentadores, o encontro dos dois sistemas BRT-VLT (o mesmo que monotrilho) os nossos técnicos vão ajustar naturalmente”, declarou o prefeito de Manaus.

Questionado se estava mais calmo e menos crítico com essa decisão entre Governo e Prefeitura de Manaus, Amazonino respondeu: “Não vejo mais por que eu tecer críticas porque as coisas estão conformadas com esse novo reexame técnico, segundo a palavra do governador, desde que mostre a capacidade técnica de 28 mil passageiros/hora”.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Vereador diz que Prefeitura se recusa a discutir sobre BRT com a sociedade

16/05/2011 - A Crítica.com

Em rápida apresentação em slides para os demais parlamentares na Câmara, Elias mostrou que o custo do quilômetro desse sistema é de R$ 17 milhões a R$ 26 milhões, enquanto que o do monotrilho é de R$ 70 milhões a R$ 130 milhões por km

O vereador Elias Emanuel (PSB) apresentou, na manhã nesta segunda-feira (16), o projeto básico do Bus Rapid Transit (BRT), na tribuna da Câmara Municipal de Manaus (CMM) e afirmou que a bancada governista “está perdendo tempo em não trazer essa discussão para a Casa”.

O projeto, de autoria da Prefeitura Municipal de Manaus (PMM), é uma das alternativas de mobilidade urbana para a cidade, criada para atender às exigências da Federação Internacional do Futebol (Fifa) para a Copa do Mundo de 2014.

Elias Emanuel teve acesso a todo o escopo do BRT durante audiência pública, realizada na última quinta-feira (12), pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), em parceria com o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea). De acordo com o parlamentar, a Câmara está atrasada nesse debate e essa ‘omissão’dos parlamentares da base do prefeito mostra que estão jogando contra a prefeitura e contra a própria cidade.

Além disso, Elias ressaltou que a própria prefeitura tem se recusado a debater o tema na Câmara Municipal, e na sua avaliação, perde a oportunidade de levar essa discussão à sociedade.

“A PMM está perdendo tempo em não discutir o BRT. A grande diferença entre esse sistema e o monotrilho é o valor da construção por quilômetro, mas o BRT tem uma área de desapropriação gigantesca na zona leste e isso tem sido ignorado”, disse o vereador.

Na audiência pública do sistema Confea/Crea, foi apresentado com riquezas de detalhes todo o cronograma e valores do Bus Rapid Transit. Em rápida apresentação em slides para os demais parlamentares na Câmara, Elias mostrou que o custo do quilômetro desse sistema é de R$ 17 milhões a R$ 26 milhões, enquanto que o do monotrilho é de R$ 70 milhões a R$ 130 milhões por km.

De acordo com o projeto, estão previstas várias desapropriações ao longo do percurso do BRT, que vai interligar as zonas leste a sul, saindo do T4 (Jorge Teixeira), passando pelo T5 (São José), até chegar ao Centro de Manaus. “Pelo que vi no projeto e pela explanação na audiência, esse sistema vai mexer drasticamente nas vias da cidade, principalmente na zona leste”, acrescentou o parlamentar.

Elias cobrou uma maior discussão do tema mobilidade urbana na Casa e, segundo informações do procurador federal Athayde Ribeiro da Costa, do Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM), este órgão ainda não se manifestou quanto à liberação das obras e recursos do BRT na cidade. Tanto esse sistema quanto o projeto do monotrilho, elaborado pelo governo do Estado, haviam recebido parecer negativo do MPF/AM e Ministério Público Estadual (MPE) quanto a liberação de recursos por parte da Caixa Econômica Federal (CEF).

Em aparte, o presidente da Câmara, Isaac Tayah (PTB), afirmou que deve ser realizado nos próximos dias, naquele Parlamento, um Fórum de debate para o transporte, onde serão discutidos os diversos projetos de mobilidade urbana em pauta, como BRT e monotrilho, onde serão mostrados quais benefícios e malefícios de cada modal. Elias Emanuel afirmou que vai repassar cópia do projeto básico do BRT para a Comissão de Transporte da Câmara.

domingo, 17 de abril de 2011

População revoltada quebra ônibus no Terminal da Cohama

Postado por Fortalbus 17/04/11 às 00:45

Usuários do sistema de transporte coletivo quebraram no início da noite de sexta, por volta das 18h, quatro ônibus em protesto pela demora do carro que faz a linha “Terminais/BR-135”, no Terminal de Integração da Cohama. Esta é a segunda manifestação em menos de seis meses, organizada por usuários que necessitam dessa linha. A primeira aconteceu no Terminal do São Cristóvão.

Centenas de pessoas se mobilizaram, exigindo uma frota maior do ônibus, para atender à grande demanda que necessita usar o transporte coletivo.

O protesto começou quando um grupo de jovens, revoltados com a demora do ônibus, quebrou o veículo que faz a linha “Terminais/BR-135”, que estava parado. Segundo os manifestantes, um guarda municipal, tentando conter a revolta dos usuários, efetuou cinco disparos para o alto e outro começou a ofender os manifestantes.

Após a reação dos guardas municipais, cerca de duzentas pessoas quebraram mais três veículos. A Polícia Militar foi acionada e prendeu um dos manifestantes, que ficou detido por cerca de uma hora. A população, revoltada, gritou pedindo que o manifestante fosse solto.

O protesto reuniu quase quatrocentos manifestantes e terminou por volta das 20h. Mas, somente a partir das 20h20 chegaram ao Terminal Integração da Cohama três ônibus da linha “Terminais/BR-135”, veículos que não foram suficientes para a demanda.

Informações extraídas do Jornal Pequeno

domingo, 9 de janeiro de 2011

Manaus ganha duas novas linhas de transporte coletivo

09/01/2011 - Postado por Fortalbus



A Superintendência Municipal de Transporte Urbano (SMTU), da Prefeitura de Manaus, anunciou nesta sexta a criação de duas novas linhas de ônibus que circulação na capital. As rotas devem começar a rodar na próxima segunda-feira (10), atendendo moradores de comunidades no bairro São Pedro, na zona Norte, e no Tarumã.

A linha 059 Comunidade São Pedro – Campos Sales – Terminal de Integração 3/T3. O veículo atenderá o Res. Rio Solimões, Parque Riachuelo e Paraíso Tropical, passando pelo Aeroporto. A linha, cobrada pela Associação de Moradores da Comunidade São Pedro, percorrerá as avenidas Santos Dumont, Max Teixeira, Noel Nutels para chegar ao T3, na Cidade Nova.

A SMTU garantiu ainda a criação de uma linha coletora para a área do Tarumã. O coletivo fará cinco viagens no período da manhã e cinco no período da tarde, até às 20h, sem cobrança de tarifa. O itinerário inclui o atendimento às comunidades do Tarumã e 23 de Setembro, com desembarque no terminal da linha 330 - Lago Azul, onde os moradores devem embarcar em outro ônibus para ter acesso ao Centro ou outras áreas da cidade.